Com medo de Moro, Lula alega violação dos direitos humanos

Lula da Silva nem foi preso ou sofreu qualquer tipo de constrangimento ou perseguição, mas resolveu ir às Nações Unidas para reclamar do juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato. E foi pelas mãos de um dos advogados mais caros do mundo, Geoffrey Robertson.

O jornal The Telegraph diz que Lula da Silva entrou com uma petição na ONU em que alega violação dos direitos humanos na condução da Lava Jato. O ex-presidente alega abuso de poder pelo juiz, que faz um extraordinário serviço aos brasileiros, ao colocar na cadeia gafanhotos que dilapidaram o dinheiro público.

Veja o que diz Lula através de seu advogado em suas lamentações: “As transcrições, bem como o áudio das conversas, estão sendo liberados para uma imprensa hostil. O juiz está invadindo sua privacidade e pode prendê-lo a qualquer momento e, em seguida pode ser julgado sem um júri”.

De acordo com Robertson, o caso vai expor o problema da prisão preventiva e das “condenações injustas” no Brasil, que são feitas baseadas em confissões de suspeitos que só querem sair da prisão.

Lula foi alvo de condução coercitiva em março passado, na fase Aletheia da Lava Jato. Em teleconferência para a Bloomberg, o advogado britânico disse que a condução coercitiva do petista não teve base legal.

O ex-presidente tem viajado pelo Brasil em campanha aberta à Presidência da República em 2018.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas