Paulo Bernardo é indiciado pela PF; Justiça nega prisão domiciliar a Cachoeira

O ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo (PT) escapou da prisão preventiva da Operação Custo Brasil, mas não do indiciamento pela Polícia Federal por corrupção passiva, organização criminosa e corrupção.

A operação que é um desdobramento da 18ª. fase da Operação Lava Jato indica que há indícios de materialidade e autoria. O inquérito foi encaminhado à Justiça na última sexta-feira (22), mas, somente hoje, o caso foi divulgado.

Relembrando: Bernardo foi preso no dia 23 e solto no dia 29 de junho por determinação do STF. Ele é acusado por ajudar num suposto desvio de R$ 100 milhões de empréstimos consignados no âmbito do Planejamento, entre 2010 e 2015.

Já Carlinhos Cachoeira (batizado Carlos Augusto de Almeida Ramos) continua preso. Com a decisão do STJ, o empresário permanece no Rio de Janeiro, onde cumpre prisão domiciliar em um hotel na Avenida Atlântica, zona sul da cidade.

Relembrando: no dia 8, o ministro Nefi Cordeiro, do STJ, mandou soltar os presos investigados na Operação Saqueador, depois que a defesa dos acusados entrou com habeas corpus, após a decisão que revogou prisão domiciliar concedida anteriormente aos acusados.

 

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas