Duque admite pecado no ”confessionário” de Sérgio Moro

O mote de não prejudicar a presidente afastada Dilma Rousseff fez o ex-marqueteiro João Santana omitir US$ 4,5 milhões provenientes do interminável “caixa 2” na campanha presidencial.

Ao ter uma segunda chance, João Santana confessou como um “pecador” em “confissionário” que praticou omissão e se arrependeu.

O ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, com advogado novo, Juliano Bredas, um dos especialistas em delação premiada, deverá mudar depoimentos. Ele quer segunda chance no confesssionário do juiz federal Sérgio Moro.

A aposta é grande de Duque para tentar o subterfúgio legal, a redentora delação premiada, porque a soma de todas as penas dos crimes aos quais responde é mais de 50 anos.

Como ele teve uma tentativa de delação frustrada pouco tempo depois que foi preso no ano passado, o que será que ele irá alegar que omitiu para não prejudicar Dilma Rousseff e o país? 

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas