Grupo nega que seja alvo de operação da Polícia Federal

A Polícia Federal continua na sede do grupo J&F, controladora das empresas JBS Friboi, Eldorado Brasil Celulose e outras. O grupo enviou nota ao mercado e negou que seja alvo de uma operação policial.

A assessoria de imprensa, no entanto, informou que a ação acontece nos escritórios da fabricante de celulose. Os policiais buscam documentos referentes ao Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS).

O Broadcast Político informou que a J&F foi citada em delação premiada do ex-vice-presidente da Caixa, Fábio Cleto. O presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teria recebido propinas em 12 operações de grupos empresariais que obtiveram aportes milionários do FI-FGTS.

Uma das propinas relatadas por Cleto refere-se à captação de recursos feita em 2012 pela Eldorado Brasil. O valor pleiteado inicialmente foi de R$ 1,8 bilhão para obras numa fábrica em Três Lagoas (MT), mas acabou reduzido para R$ 940 milhões. Nesse caso, Cleto disse acreditar que Cunha tenha recebido valor superior a 1% como comissão. Ele afirmou que sua parte foi de R$ 940 mil. 

Em nota nesta manhã, o presidente afastado da Câmara, disse que desconhece “o conteúdo da delação, por isso não posso comentar detalhes”

Em depoimentos prestados à Procuradoria-Geral da República, Cleto comentou que o deputado cobrava comissões variáveis de 0,3% a 0,5% ou até mais de 1% dos repasses feitos pelo fundo.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas