Janot compara corrupção e impunidade ao período da escravidão

No seminário aberto hoje sobre grandes casos criminais na Itália e no Brasil, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, comparou a pressão contra as investigações da Lava Jato ao movimento contra a escravidão.

Na época se pedia o fim da escravatura. Hoje, a luta é contra a impunidade e a corrupção, comparou.

Janot observou que “algumas vozes” ensaiam trocar combate à corrupção por “uma pseudo-estabilidade”.

“Está na hora de quebrar os grilhões do patrimonialismo”. E que “a Lava Jato por si só não salvará o Brasil” e que por isso é “indispensável a força da cidadania vigilante”.

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas