Machado implica o presidente Temer em delação premiada

Na delação premiada de Sérgio Machado, disponibilizada hoje pelo ministro do STF, Teori Zavaski, consta que o presidente interino Michel Temer pediu dinheiro para a campanha de Gabriel Chalita, então candidato à prefeitura de São Paulo.

O ex-presidente da Transpetro disse que Michel pediu doações oficiais e, mais tarde, dinheiro não contabilizado das empresas que tinham contrato com a estatal. A doação teria ficado em R$ 1,5 milhão, segundo Machado, e veio da empreiteira Queiroz Galvão.

Teriam recebido propina através das articulações ilícitas, os peemedebistas Romero Jucá, Jader Barbalho, José Sarney, Édison Lobão e Renan Calheiros. Eles também teriam recebido dinheiro contabilizado oficialmente.

Machado também teria repassado recursos oficiais para Cândido Vaccarezza (PT-SP), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Luis Sérgio (PT-RJ), Edson Santos (PT-RJ), Francisco Dornelles (PP-RJ), Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), Ideli Salvatti (PT-SC); Jorge Bittar (PT-RJ), Garibaldi Alves (PMDB-RN), Valter Alves (PMDB-RN), José Agripino Maia (DEM-RN), Felipe Maia (DEM-RN), Sergio Guerra (PSDB-PE), Heráclito Fortes (PSB-PI), Valdir Raupp (PMDB-RO).