Alves, do Turismo, também deveria pedir demissão

A semana começa com uma decisão a ser aguardada pelo presidente interino Michel Temer (PMDB). Se vale para um, também deveria valer para seu amigo, o ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Suspeito de receber propina do esquema da Petrobras, Alves deverá ter um inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal a pedido da Procuradoria-Geral da República.

Essa solicitação foi feita em abril, mas mantida em segredo. Mesmo assim, o amigo de Temer foi nomeado ministro na mesma pasta que ocupava no governo Dilma Rousseff.

O ministro e ex-presidente da Câmara dos Deputados teria atuado para obter recursos desviados da Petrobras em troca de favores para a empreiteira OAS. Parte do dinheiro teria isso para financiar a campanha de Alves ao governo do Rio Grande do Norte, em 2014.

No mesmo pedido de investigação ao STF, segundo a Folha, constam os nomes de Michel Temer, o ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Moreira Franco (secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimento).

Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas

Assuntos Relacionados


Informativo Misto Brasil

Inscreva-se para receber conteúdo exclusivo gratuito no seu e-mail, todas as semanas