PF volta na Lava Jato para prender ex-tesoureiro do PP

Depois de 41 dias, policiais voltam às ruas por conta de nova etapa da Operação Lava Jato. O principal alvo foi o ex-tesoureiro do Partido Progressista, João Cláudio Genu. Ele já tinha sido condenado no esquema conhecido como mensalão.

As outrsa prisões temporáriaa foram contra Lucas Amorim Alves Humberto do Amaral Carrilho. Ele foi preso no Recife.

Os policiais também cumprem um mandado de busca e apreensão na casa de Antônio Gontijo de Rezende, também no Recife.

Segundo a PF, de acordo com o G1, surgiram elementos probatórios que apontam a participação do investigado também no esquema criminoso que vitimou a Petrobras.

As investigações apontam que ele continuou recebendo repasses mensais de propinas, mesmo durante o julgamento do Mensalão e após ter sido condenado, repasses que ocorreram pelo menos até o ano de 2013.

Acusado de ter sacado R$ 1,1 milhão do “valerioduto” do mensalão, Genu foi condenado inicialmente a 5 anos de prisão, em regime semiaberto, mas por conta dos chamados embargos infringentes teve a pena reduzida para 4 anos de prisão em regime aberto, que pode ser convertida em prestação de serviços comunitários, além do pagamento de multa no valor de R$ 260 mil.