Reduzir carga tributária significa menos saúde e educação

autor Misto Brasília

Postado em 06/08/2018 16:49:40 - 16:45:00


Floriano (a esquerda) defende taxar mais os ricos para pagar saúde e educação/Divulgação

Declaração é do presidente da Anfip, que ao lado do presidente da Fenafisco sugerem taxar os ricos

"O pessoal não gosta de pagar imposto. E muitos repetem o mito de que a carga tributária brasileira é alta. Quero dizer para você trabalhador: reduzir a carga tributária significa menos saúde e educação". A afirmação é do presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal, Floriano Martins de Sá Neto.

A declaração foi feita esta tarde, durante a conferência de divulgação na Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) sobre a proposta da reforma tributária solidária. A Anfip e a Fenafisco apresentaram um amplo trabalho sobre a reforma tributária que está sendo apresentada aos candidatos nas eleições deste ano.

"O resultado da CPI da Previdência foi aprovado. Por ali temos um bom caminho para reformar a Previdência Social", observou Floriano. O presidente da Fenafisco, Charles Alcântara explicou que atualmente as pessoas que ganham 30 salários mínimos, consideradas de renda alta, pagam cinco vezes mais impostos do que as de altíssima renda, que ganham 320 salários mínimos.

"Também precisamos reduzir os impostos sobre o consumo. Mas essa redução deve vir acompanhada de um aumento sobre imposto de renda e patrimônio, para garantir os serviços prestados pelo Estado" defendeu Charles Alcântara.

"Há uma armadilha com o discurso da simplificação [dos impostos]. Pode até simplificar, mas o problema crucial é a regressividade do sistema. Quem ganha menos paga mais impostos. Quem ganha mais, paga menos", pontuou.


Orquestra de Brasília e o Coral 10 interpretam Cio da Terra
Governador do Pará diz que contas dos estados passarão por pente-fino
veja +
Proposta reserva vagas de instituições de ensino para pessoas com deficiência
Câmara analisa propostas para deduzir do IR despesas com remédios, óculos e próteses
Ibaneis disse que vai "colaborar" para a aprovação da reforma previdenciária
veja +