PGR diz que extinção da contribuição sindical não fere a Constituição

autor Misto Brasília

Postado em 27/06/2018 09:02:17 - 08:58:00


Raquel Dodge se manifestou contra o retorno da contribuição sindical/Arquivo

Em sua manifestação, destacou que a reforma trabalhista vetou descontos para sustentar sindicatos

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que os dispositivos da reforma trabalhista que extinguem a contribuição sindical obrigatória não violam a Constituição Federal. A manifestação foi encaminhada ao Supremo Tribunal Federal, que deve julgar a questão nesta quinta-feira (28).

O parecer de Raquel Dodge foi feito no âmbito de uma ação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte Aquaviário e Aéreo, na Pesca e nos Portos (Conttmaf) contra o fim da contribuição sindical obrigatória. Em sua manifestação, Raquel Dodge destacou que a reforma trabalhista inseriu dispositivos que vedam que o trabalhador sofra desconto de contribuições sindicais, sem que haja a sua prévia concordância.

"A nova exigência legal de 'autorização prévia e expressa' evidencia o caráter facultativo atribuído à contribuição sindical, em contraposição à sua anterior natureza jurídica de tributo, na modalidade de contribuição parafiscal", sustentou Raquel Dodge


Luís Miranda diz que Ibaneis falhou em não articular relator da MP da região metropolitana
AO VIVO - explicações sobre a reforma previdenciária dos militares
veja +
Senado vai votar permissão para pais que estudam ficarem com filhos na sala de aula
Sancionada a Lei que estabelece idade mínima de 16 para casamento civil
Lei que permite bloquear recursos de acusados por terrorismo é sancionada
veja +