Força-tarefa quer suspeição de ministro do Supremo

autor Misto Brasília

Postado em 07/06/2018 07:32:29 - 07:24:00


Doação da Fecomércio-RJ foi feita a um instituto ligado a Gilmar Mendes/Arquivo

Gilmar Mendes mandou soltar o ex-presidente da Fecomércio-RJ que doou R$ 20 mil a um instituto

Os procuradores da força-tarefa da Lava-Jato no Rio pediram à Procuradoria-Geral da República para requerer ao Supremo Tribunal Federal a suspeição ou impedimento do ministro Gilmar Mendes nos casos que envolvam o ex-presidente da Fecomércio Orlando Diniz.

Ele é um dos 20 presos, preventivamente, por determinação da Justiça Federal do Rio no âmbito da Lava-Jato a que Gilmar concedeu liberdade. O empresário é réu acusado pela Lava Jato, no Rio, por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, segundo informou o Estadão e o DCI.

A força-tarefa da Lava Jato identificou o pagamento, em 2016, ao Instituto Brasiliense de Direito Público ligado ao ministro Gilmar Mendes. O valor de R$ 50 mil foi detectado após a quebra do sigilo fiscal da Federação do Comércio do Rio de Janeiro. O empresário presidiu a Fecomércio-RJ por quase 20 anos até ser preso em fevereiro.


Temporal provoca estragos na Lagoa da Conceição, em Florianópolis
Rollemberg diz que Ibaneis mostra preconceito ao sugerir fechar a orla do Lago
veja +
Proposta reserva vagas de instituições de ensino para pessoas com deficiência
Câmara analisa propostas para deduzir do IR despesas com remédios, óculos e próteses
Ibaneis disse que vai "colaborar" para a aprovação da reforma previdenciária
veja +