Brasileiros estariam ainda mais divididos

autor Misto Brasília

Postado em 24/04/2018 10:13:55 - 10:00:00


Manifestação na frente do Congresso Nacional contra a corrupção/Arquivo/Valter Campanato/Ag Brasil

Fenômeno também ocorre em outros países, mas aqui o percentual seria maior segundo pesquisa

Três em cada quatro pessoas (76%) veem uma divisão na sociedade em que vivem, segundo uma pesquisa realizada em 27 países pelo instituto Ipsos Studies, sob encomenda da emissora britânica BBC,

No Brasil, o percentual é ainda maior: 84%, e na Alemanha também é superior à média mundial, alcançando 81%, segundo a pesquisa.

Valores ainda mais altos, porém, foram registrados na Sérvia (93%), na Argentina (92%), no Peru e no Chile (90% em ambos). Países como Itália, Reino Unido, Espanha, Estados Unidos, Rússia, Suécia, Bélgica e Chile também tiveram resultados acima da média de 76%.

Do outro lado, Arábia Saudita (34%), China (48%) e Japão (52%) foram os três países nos quais menos entrevistados mencionaram a existência de divisões na sociedade.

Quando questionados se a divisão social mudou nos últimos dez anos, seis em cada dez entrevistados (59%) afirmaram sentir que seus países estão hoje mais divididos (16% alegaram ser menor). No Brasil, foram 62%.

Em todos os 27 países, a pesquisa indicou que as diferenças nas visões políticas são vistas como a maior causa de tensão entre as pessoas: 44% mencionaram essa causa. No Brasil foram 54%.

Em seguida foram mencionadas como causa de tensão e divisão social as diferenças no poder aquisitivo entre pobres e ricos (36%), além de diferenças entre imigrantes e locais (30%) – 46% na Alemanha – e diferenças religiosas (27%).  

No geral, a maioria dos entrevistados na pesquisa (65%) disse que, em todo o mundo, as pessoas têm mais coisas em comum do que diferenças. Na Alemanha, 61% compartilham dessa opinião – a maior concordância é na Rússia e na Sérvia (ambas com 81%). Japão (25%), Hungria (48%) e Coreia do Sul (49%) são os que menos concordam. No Brasil, o percentual é de 61%.

Praticamente metade dos alemães (47%) questionados na pesquisa descreveram seus compatriotas como tolerantes a pessoas com origens, culturas ou visões diferentes. O Brasil está entre os países onde as pessoas consideram seus compatriotas menos tolerantes – Hungria (16%), Coreia do Sul (20%), Brasil (29%) e Polônia (30%) são os quatro últimos dessa lista. E, para 45% dos brasileiros questionados, a situação piorou: eles acham que as pessoas em seu país são hoje menos tolerantes do que há dez anos.

A pesquisa foi realizada entre 26 de janeiro e 9 de fevereiro em 27 países. A amostra foi de 19.428 adultos com idades entre 16 e 64 anos. No Canadá e nos EUA, entre 18 e 64 anos. (Da DW)


AO VIVO Radio 247
AO VIVO Tropical House Radio
veja +
Coordenadora diz que grupo de trabalho não vai atrasar análise do pacote anticrime
Presidente da CCJ espera "melhora do cenário político"
Senado vai votar permissão para pais que estudam ficarem com filhos na sala de aula
veja +