Alckmin será investigado por caixa dois de R$ 10 milhões

autor Misto Brasília

Postado em 20/04/2018 14:35:28 - 14:18:00


Geraldo Alckmin terá que provar inocência em inquérito aberto com perda de foro privilegiado/Arquivo

Delações da Odebrecht podem redundar em perda de direitos políticos do presidenciável

No momento em que o pré-candidato a presidência a Republica, Geraldo Alckmin, acaba de sugerir que o presidente do PSDB não concorra a nehum cargo nas Eleições 2018, o Ministério Público de São Paulo abrirá investigação do governador desimcompatibilizado, por suspeita de caixa dois de soma superior a R$ 10 milhões.

Segundo a Folha online, o cunhado dele, Adhemar Cesar Ribeiro e o secretário estadual Marcos Monteiro estão envolvidos. A abertura de inquérito se originou em delações feitas por funcionários da Odebrecht.

O pré-candidato e os dois, segundo as delatores, fizeram o papel de operadores de recursos não declarados, precisamente, nas campanhas de 2010 e 2014. Como de hábito, Alckimin nega que contribuições de campanha tenham sido feitas fora da lei. 

De acordo com a legislação, a pena, caso seja confirmada a improbidade -- recebimento de propina, fraude em licitação ou busca de vantagem pessoal -- pode ser perda de direitos políticos, de cargo, emprego ou função pública. Segundo o vice-procurador-geral Luciano Mariz Maia, as investigações conduzem à prática de crime eleitoral.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +