Juíza “barra” governadores e Requião na visita a Lula

autor Misto Brasília

Postado em 10/04/2018 16:02:12 - 15:58:00


Políticos pretendiam visitar Lula na cadeia da Polícia Federal em Curitiba/Arquivo

Responsável pela execução penal negou que os políticos visitam o ex-presidente preso na PF no PR

A juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução penal do ex-presidente Lula da Silva (PT), negou o pedido de visita dos governadores do Nordeste e o senador Roberto Requião (PMDB). Requião lidera uma comitiva com mais 14 políticos que estão na cidade e pretendiam visitar o ex-presidente, segundo informou há pouco a Gazeta do Povo.

A determinação já era esperada nos meios jurídicos. A juíza destacou, ainda, a determinação do juiz federal Sergio Moro de que o ex-presidente não deverá ter privilégios enquanto estiver preso na PF.

Na decisão, ela disse que “não há fundamento para a flexibilização do regime geral de visitas próprio à carceragem da Polícia Federal”. Segundo a juíza, as visitas a Lula da Silva devem seguir a regra geral da PF. As visitas aos presos que estão na PF em Curitiba ocorrem toda quarta-feira, mas ainda não há definição sobre possíveis alterações referentes às visitas de Lula, que podem ocorrer em outro dia da semana.

“Além do recolhimento em Sala do Estado Maior, foi autorizado pelo juiz a disponibilização de um aparelho de televisão para o condenado. Nenhum outro privilégio foi concedido, inclusive sem privilégios quanto a visitações, aplicando-se o regime geral de visitas da carceragem da Polícia Federal, a fim de não inviabilizar o adequado funcionamento da repartição pública, também não se justificando novos privilégios em relação aos demais condenados”, determinou Moro.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +