Estudantes brasileiros prejudicados por nova lei em Portugal

autor Misto Brasília

Postado em 12/03/2018 18:07:09 - 18:01:00


Universidade de Coimbra, instituição onde estudam dezenas de brasileiros/Arquivo/Divulgação

Medida editada pelo governo português altera valores pagos nas mensalidades das universidades

A Associação dos Pesquisadores e Estudantes Brasileiros (Apeb) de Coimbra contestou nesta segunda-feira a anunciada alteração da lei que regulamenta o estatuto do estudante internacional, considerando que a medida discrimina os universitários do Brasil em Portugal, informou hoje o Público, de Portugal.

Em comunicado, a Apeb afirma que a proposta de alteração do decreto-lei 36, de 2014, "visa legitimar o pagamento diferenciado de mensalidades entre brasileiros e portugueses", apesar de o Tratado de Amizade "prever igualdade de direitos" recíproca nos dois países.

A associação "continua a sua luta para que a Universidade de Coimbra (UC) cumpra o Estatuto de Igualdade, estabelecido no Tratado de Amizade" entre Brasil e Portugal.

Atualmente, na UC, "os alunos brasileiros pagam cerca de sete vezes mais caro para estudar (...), apesar do acordo que estabelece igualdade de direitos aos cidadãos" nestes países.

Segundo a iniciativa do governo, "nas instituições de ensino superior públicas, os valores de inscrição dos estudantes internacionais podem ter valores diferenciados face às fixadas para os demais estudantes inscritos no mesmo ciclo de estudos, sem qualquer ressalva aos tratados internacionais que estabeleçam regimes de igualdade, como é o caso do Tratado de Porto Seguro ou Tratado de Amizade assinado com o Brasil", adianta a associação.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +