Maluf tem pedido de prisão domiciliar negado no STJ

autor Misto Brasília

Postado em 09/03/2018 16:44:10 - 16:37:00


Deputado Paulo Maluf após realizar exames no IML-DF, quando foi preso/Arquivo

Ministro Jorge Mussi alegou que o deputado tem recebido assistência adequada na prisão

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Jorge Mussi indeferiu pedido liminar de prisão domiciliar apresentado mais uma vez pela defesa do deputado Paulo Maluf (PP-SP), preso desde dezembro de 2017 por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Questões humanitárias e riscos à saúde do deputado foram as arguições da defesa do parlamentar no pedido da concessão da medida liminar. No entanto, Mussi entendeu que, por ora, os autos indicam que o parlamentar tem recebido assistência médica adequada na prisão. As informações foram divulgadas no site do STJ.

Maluf foi condenado pelo STF à pena de sete anos e nove meses de prisão, em regime fechado, pela prática de crime de lavagem de dinheiro. Ele é acusado de ter desviado recursos dos cofres públicos quando exerceu o cargo de prefeito de São Paulo (1993-1996) e enviado o dinheiro para contas nos Estados Unidos. 

Além da idade avançada, o deputado tem 86 anos, a defesa alegou que Maluf tem doenças graves como câncer e diabetes, “com possibilidade de deterioração rápida do quadro clínico no caso de manutenção da prisão”. Além disso, segundo a defesa, o crime imputado ao parlamentar teria sido cometido há mais de 20 anos, o que demonstraria “a ausência de risco à ordem pública ou econômica no caso de concessão de prisão domiciliar”.

“A questão poderá ser analisada em maior profundidade pelo colegiado, quando do exame do mérito da impetração, pois não se desconhece o grave estado de saúde do paciente", argumentou o juiz do TJ-DF.


AO VIVO - Câmara Legislativa do DF
Relator da reforma da Previdência diz que fará apenas correções no texto
veja +
Moro nega cooperação ou combinações com o MPF
Funcionário garante que Vale conhecia problemas da barragem em Brumadinho
Votação da reforma pode começar no mesmo dia do encerramento da discussão
veja +