MPF quer manter ex-ministro do Turismo trancafiado

autor Misto Brasília

Postado em 15/02/2018 19:04:01 - 18:57:00


Henrique Eduardo Alves está preso desde junho do ano passado em Natal/Arquivo

Henrique Eduardo Alves recebeu o benefício da prisão domiciliar, mas continua preso em outro caso

O Ministério Público Federal recorreu hoje da decisão do juiz da 14ª Vara Federal, Francisco Eduardo Guimarães, no Rio Grande do Norte, que concedeu prisão domiciliar ao ex-ministro e ex-presidente da Câmara, Henrique Eduardo Lyra Alves no âmbito da Operação Manus. O ex-deputado está preso na Academia de Polícia Militar, em Natal, devido ao mandado referente à Operação Sepsis, cujo processo tramita na Justiça Federal em Brasília.

O MPF garante que a concessão da prisão domiciliar não se enquadra em nenhuma das hipóteses previstas no Código de Processo Penal e traz riscos à aplicação da lei, em decorrência da influência política que ainda possui o ex-ministro. Ele foi preso em 6 de junho do ano passado.

A maior parte dos fatos narrados na denúncia trata do repasse de vantagens mediante doações eleitorais oficiais da OAS, “cujas provas essencialmente são documentais e decorrentes de quebra de sigilo de dados telefônicos e bancários, não se baseando em testemunhas”.


Orquestra de Brasília e o Coral 10 interpretam Cio da Terra
Governador do Pará diz que contas dos estados passarão por pente-fino
veja +
Proposta reserva vagas de instituições de ensino para pessoas com deficiência
Câmara analisa propostas para deduzir do IR despesas com remédios, óculos e próteses
Ibaneis disse que vai "colaborar" para a aprovação da reforma previdenciária
veja +