Escolas de samba de Brasília apenas se apresentam

autor Misto Brasília

Postado em 03/02/2018 07:40:58 - 07:35:00


No Brasília Samba Show a apresentação da Unidos da Vila Planalto/Wilson Dias/Agência Brasil

Desfile formal não ocorre há quatro anos por falta de recursos, mas a tradição do carnaval é mantida

Diante de um público tímido e em uma noite de temperatura amena após um dia chuvoso, as seis escolas de samba do grupo especial do DF iniciaram nesta sexta-feira (2) as apresentações deste ano no complexo cultural da Funarte, no centro de Brasília. Além das seis escolas de samba do grupo especial, aconteceram shows dos cantores Mart'nália e Xande de Pilares.

Pelo quarto ano consecutivo, o carnaval da capital do país não terá um desfile formal, com competições entre as escolas, mas o chamado Brasília Samba Show. “Infelizmente, não tivemos o carnaval por mais um ano, mas estamos tentando manter a cultura do samba e dos desfiles ainda viva”, afirma o diretor da União das Escolas de Samba e Blocos de Enredo do Distrito Federal (Uniesbe), Adriano Gardini, ao repórter Paulo Victor Chagas da Agência Brasil.

O evento, que ocorre com a presença de artistas de expressão nacional, tem como objetivo manter as agremiações em evidência enquanto não voltam à programação tradicional da folia.

O Brasília Samba Show é uma forma paliativa de dar visibilidade às escolas de samba do Distrito Federal, que não desfilam em uma competição oficial carnavalesca desde 2014. O motivo é a falta de dinheiro.

Segundo o governo do Distrito Federal, o orçamento destinado nos anos anteriores ao desfile era de R$ 6 milhões. Atualmente, estão previstos gastos de apenas R$ 5 milhões para todo o carnaval, incluindo o financiamento de bloquinhos de rua, as escolas e os demais custos com a estrutura.


Festa de aniversário de João de Deus que agora é acusado de molestar mulheres
Bolsonaro faz reunião com a bancada do PRB na Câmara
veja +
Everardo Gueiros, da Secretaria da Cidadania, diz que o “Na Hora” vai mudar de nome
Vice-governador eleito do DF, Paco Britto, disse que a meta é reduzir 20% de comissionados
Comissão especial aprova proposta de nova lei das licitações
veja +