Morre Babenco, o argentino que fez história no cinema brasileiro

autor Misto Brasília

Postado em 14/07/2016 14:10:42 - 14:08:00


Foto - Misto Brasília

Falecimento foi anunciado pela filha; ele teve uma parada cardíaca aos 70 anos

A morte do cineasta argentino naturalizado brasileiro Hector Babenco foi anunciada pela Galeria Raquel Arnaud, empreendimento de sua ex-mulher, que dá nome ao local, e estabelecimento onde trabalha a sua filha, Myra.

Ele morreu na noite desta quarta-feira, de parada cardíaca, o cineasta Hector Babenco. Argentino radicado no Brasil há cinquenta anos, Babenco tinha 70.

“É com grande pesar que comunicamos o falecimento de Hector Babenco, pai de nossa diretora associada Myra Arnaud Babenco. A Galeria estará fechada ao público hoje e amanhã. Informaçōes sobre velório serão comunicadas assim que as tivermos”, diz comunicado na página da Galeria Raquel Arnaud no Facebook. Ele também foi casado com a atriz  Barbara Paz.

Naturalizado brasileiro aos 31 anos, o diretor se tornou um dos principais nomes do cinema nacional, com filmes como Pixote – a Lei do Mais Fraco (1981), sobre a situação dos meninos de rua, O Beijo da Mulher Aranha (1985), que projetou Sonia Braga no exterior, e Carandiru (2003), baseado no livro de Drauzio Varella sobre a sua experiência como médico da penitenciária, famosa por ter sido palco de um massacre em 1992.

 


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +