Policial que denunciou grampo no Senado é demitido

autor Misto Brasília

Postado em 15/01/2018 13:07:10 - 12:54:00


Policial Igor foi demitido por supostamente descumprir deveres funcionais/Arquivo/Redesocial

Demissão foi publicada hoje no Diário Oficial da União após conclusão de um processo administrativo

Foi publicado na edição desta segunda-feira (15) no Diário Oficial da União, a demissão do policial legislativo Paulo Igor Bosco Silva, lotado na Coordenação de Benefícios Previdenciários da Secretaria e Gestão de Pessoas do Senado Federal. Ele teria descumprido deveres funcionais, segundo investigação da Primeira Secretaria da Mesa Diretora, que abriu uma investigação administrativa.

Paulo Igor foi o delatar ao Ministério Público Federal das varreduras em escutas telefônicas em imóveis particulares e funcionais de senadores.  O processo administrativo foi aberto em agosto de 2016 a pedido do diretor da Polícia Legislativo, Pedro Ricardo Araújo, sob a acusação de Igor dar aulas no em um cursinho preparatório para concursos em horário em que deveria dar expediente no Senado. Na época, Igor negou que estivesse dando aulas e que seu nome aparecia no site do cursinho como uma forma de propaganda para atrair a clientela.

Pedro e mais três policiais legislativos (Geraldo Cesar de Deus OliveiraEverton Taborda e Antonio Tavares) foram presos pela Polícia Federal em setembro de 2016 acusados de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato contra os senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR), Édison Lobão (MDB-MA), Renan Calheiros (MDB-AL), Fernano Collor (PTC-AL), José Sarney (MDB-MA) e outros congressistas que solicitaram a varredura. O processo contra Igor teria sido turbinado após a prisão dos colegas.


Dedeco anuncia que caminhoneiros farão protestos no domingo
AO VIVO - Câmara Legislativa do DF
veja +
Recursos do antigo Fundef não devem ser usados no pagamento de professores
CCJ aprova fim da isenção irrestrita de custas judiciais nos juizados especiais
Novos métodos para obtenção de provas do pacote anticrime dividem opiniões
veja +