Um ano para ser feliz

autor Misto Brasília

Postado em 04/01/2018 19:33:05 - 19:08:00


O ser humano recebeu a dádiva única de poder sentir emoções/Arquivo/EBD

Para cada aspecto, seja o profissional, o social, o familiar, deve-se medir esse grau de tristeza

Texto de Renato Candemil 

O ano de 2017 ficou para trás e já estamos iniciando 2018. Não seria o momento de nos perguntarmos:

— Como podemos individualmente melhorar nossas vidas e por consequência melhorarmos a vida dos outros, das pessoas que estão ao nosso redor?

— Como podemos criar um mundo melhor?

Minha sugestão é a de que em primeiro lugar devemos melhorar nossas qualidades individuais e eliminar todas aquelas atitudes e comportamentos negativos que vez ou outra adotamos. A agressividade, a tristeza, o desamor, a intolerância, o pessimismo e tantos outros, numa lista quase interminável de negatividade.

Superada essa fase, em seguida todos nós devemos passar a ter atitudes inteiramente positivas, alegres, amorosas, de felicidade. Somente assim estaremos todos automaticamente contagiando uns aos outros e por consequência iremos transferir e proporcionar que essas mesmas pessoas tenham a oportunidade de evoluir e desenvolver a sua consciência individual e espiritual.

Certa vez ouvi alguém dizer em uma palestra que a forma mais fácil de diagnosticar se uma pessoa está no caminho certo, se está cumprindo com sua missão é observar o seu grau de tristeza e de sofrimento interior. Essa é uma verdade quase que absoluta.

Para cada aspecto de sua vida, seja o profissional, o social, o familiar, deve-se medir esse grau de tristeza, de sofrimento e também o de satisfação. Simples assim. Quanto maior for o grau de sofrimento e tristeza em nossas situações cotidianas, maior é a necessidade de mudança de rumo. Maior é a necessidade de reflexão.

O ser humano recebeu a dádiva única de poder sentir emoções, e são os pequenos acontecimentos diários que nos proporcionam as grandes realizações em nossas vidas. Devemos sempre estar atentos a esses pequenos acontecimentos e observar os sinais que a vida nos dá.

Isso serve para nos alertar da necessidade de que despertemos para o real e verdadeiro sentido da vida, que é o da prática incondicional do bem. Quando se pratica o bem, automaticamente você transfere energias positivas para as outras pessoas e para o ambiente. E assim, em cadeia, você vai contagiando tudo e a todos, numa grande corrente de energia. Energia inteiramente positiva.

Pense nisso e viva feliz em 2018! (Renato Candemil é advogado e autor do livro Uma jornada em busca da verdade espiritual)

 


AO VIVO Radio 247
AO VIVO Tropical House Radio
veja +
Coordenadora diz que grupo de trabalho não vai atrasar análise do pacote anticrime
Presidente da CCJ espera "melhora do cenário político"
Senado vai votar permissão para pais que estudam ficarem com filhos na sala de aula
veja +