Programação do Natal Monumental na Torre de TV será ampliada

autor Misto Brasília

Postado em 23/12/2017 21:05:02 - 20:59:00


Eventos gratuitos na Torre da TV neste período natalino/Pedro Ventura/Agência Brasília

Durante três dias o púbico poderá assistir a shows de artistas da cidade gratuitamente

Torre de TV ficará aberta até as 21 horas no período de Natal e ano-novo. Batizado de Natal Monumental, o evento inclui ações solidárias. O horário estendido segue até 6 de janeiro. Durante três dias — deste sábado (23) até segunda-feira, feriado de Natal —, o púbico poderá assistir a shows de artistas da cidade e de projeção nacional, com acesso livre.

Com 10 minutos de duração, as apresentações ocorrem a cada 20 minutos. Em 2 de janeiro, o funcionamento volta ao normal. Além disso, a visitação ao mirante será mantida na segunda-feira — dia em que ele normalmente fecha para manutenção periódica — das 15 às 21 horas. Nos domingos (24 e 31 de dezembro), estará aberto das 9 às 15 horas. A fonte luminosa também vai funcionar em horários diferenciados nesse período.

Programação Natal Monumental 

23 de dezembro (sábado)

13 h – DJ Maffra

15 h – Batalha de Neurônios

16 h – Surf Sessions

18 h – Show da banda Scalene

20h30 – Show da banda Paralamas do Sucesso

22h30 – DJs A e Chicco Aquino 

24 (domingo)

9 h – Natal Solidário (café da manhã)

10 h – DJ Maffra

11 h – Alunos da Escola de Música

12 h – Ceia Natal Solidário

13 h – Chegada do Papai Noel

14 h – Frozen (espetáculo infantil)

15h30 – Renato Piau + Clube do Choro + convidados 

25 (segunda-feira)

15 h – DJ Maffra

16 h – Show Infantil Patrulha Canina

17h30 – Carnavália

19 h – Fernando Anitelli apresenta Teatro Mágico Acústico

21 h – Show da banda Jammil


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Pré-sal, royalties, precatórios e Jovem Senador são destaques do Plenário
Kajuru vai propor medidas para investigar a CBF
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
veja +