Taguatinga tem biblioteca inclusiva de autores brasilienses

autor Misto Brasília

Postado em 17/12/2017 11:30:08 - 11:17:00


Biblioteca de braille de Taguatinga é um exemplo nacional/Toninho Tavares/Agência Brasília

Desde a criação da biblioteca, em 1995, o projeto já integra 83 autores com deficiência visual

primeira academia inclusiva de autores brasilienses foi fundada com o intuito de promover a obra literária de pessoas com deficiência visual no País e no mundo na Biblioteca Braille Dorina Nowill, em Taguatinga.

A Agência Brasília recorda que a iniciativa nasceu do projeto Luz & Autor em Braille, desenvolvido há 22 anos na biblioteca. Com mais de 800 trabalhos produzidos, o local não só proporciona acesso à leitura para os que não enxergam ou têm baixa visão, como também os estimula a produzir os próprios textos.

Desde a criação da biblioteca, em 1995, o projeto já integra 83 autores com deficiência visual com outros escritores que atuam como voluntários. Em 2010, o projeto lançou o livro Revelando Autores em Braille, que traz um compilado de histórias e poemas escrito de forma inclusiva.

Os deficientes visuais têm ainda à disposição aulas de reforço, informática, dança e braille. A coordenadora da biblioteca, Leonilde Fontes, conta que o trabalho impacta diretamente a vida dos frequentadores. “É um ambiente de transformação”, diz a coordenadora da biblioteca, Leonilde Fontes.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +