Aqueles dois

autor Misto Brasília

Postado em 09/09/2017 14:38:44 - 14:21:00


Deletemos tudo, mas nem tudo deve ser apagado/Arquivo/Pinterest

O mais comum em Facebook é o “casal” ao terminar sua relação, dar cabo de todos os seus vestígios

Texto de Viviane Roussenq

Na linguagem virtual, deixaram-se. O surrado status de “relacionamento sério” sumiu dos perfis. Era apenas um detalhe em meio a tantos posts - trabalho, amizade, festas, conquistas profissionais.

Prosseguiram seus caminhos, mas não negaram o vínculo de vida de pelo menos quatro anos. Ambos mantiveram fotos de momentos de carinho, orgulho e paixão, com direito a declarações de amor.

Refleti sobre a maneira bacana de não negar o vivido e celebrado, de referendar o que foi lindo e registrado em imagens, porque valeu, durou e deu certo por alguns anos. O mais comum em Facebook é o “casal” ao terminar sua relação, dar cabo de todos os seus vestígios.

Como se o outro ou ambos não tivessem colecionado um tempo só dos dois. Para além do calendário e de outros amores que virão. Achei bonito, leal.

De uma lealdade profunda a si mesmo, de quem sabe e sente que o amor foi vivido até a última gota. E lealdade ao outro, que fez parte da caminhada, que sempre fará. Como num álbum de recordações em que viramos a página mas não a rasgamos.

Com serenidade, paz e alguma dose de bom humor ele ou ela ao se deparar com a imagem não deterá aquele meio sorriso de bons tempos. Mesmo com a pressa de tempos onde a nostalgia foi demonizada em lugar da praticidade, ou seja, acabou?

Deletemos tudo. Belo exemplo de que o passado - principalmente sua parte mais bonita, não pode e nem deve ser apagado.


AO VIVO Radio 247
AO VIVO Tropical House Radio
veja +
Coordenadora diz que grupo de trabalho não vai atrasar análise do pacote anticrime
Presidente da CCJ espera "melhora do cenário político"
Senado vai votar permissão para pais que estudam ficarem com filhos na sala de aula
veja +