Gilmar diz que Janot fez uma ''Operação Tabajara''

autor Misto Brasília

Postado em 05/09/2017 16:48:46 - 16:47:00


Ministro Gilmar Mendes está em Paris sob os auspícios do contribuinte/Arquivo

Presidente do TSE, que está em Paris, disse que o acordo com Joesley foi uma tragédia

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes voltou a criticar hoje (5) o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por supostas falhas na condução das tratativas que levaram à assinatura do acordo de delação premiada de executivos da JBS, informou a Agência Brasil.

Ao comentar a abertura do processo de revisão dos benefícios concedidos ao empresário Joesley Batista e a outros delatores, o ministro disse que a celebração do acordo foi “a maior tragédia que já ocorreu na PGR [Procuradoria-Geral da República] em todos os tempos”.

Em Paris, onde está em viagem oficial como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes considerou o acordo de delação como um desastre que foi malconduzido desde o início". Além disso, o ministro disse que a Corte pode ter errado por não ter "colocado limites aos delírios" de Janot.

"Eu tenho a impressão de que o procurador-geral tentou trazer o Supremo para auxiliá-lo nessa Operação Tabajara [malfeita, de má qualidade]. No fundo, uma coisa muito malsucedida, e ele [Janot] está tentando dividir a responsabilidade com o Supremo. O Supremo não tem nada com isso. O Supremo pode ter errado e não ter feito avaliações e, talvez, não ter colocado limites", afirmou Gilmar Mendes.


Ibaneis bate boca com deputados distritais da oposição sobre escolas militares
AO VIVO TV Câmara Legislativa
veja +
Maia vai instalar nesta quarta comissão para discutir novas regras para o saneamento
Deputados cobram desbloqueio de recursos para a educação
Presidente da Cobap, Warley Gonçalves, sugere uso da máquina para reeleição
veja +