Brasil e Angola sofrem do mesmo mal

autor Misto Brasília

Postado em 28/07/2017 20:39:06 - 20:32:00


Escritor angolano José Eduardo Agualusa compara os dois países/Arquivo/Citações

Escritor angolano compara as relações da sociedade dos dois países e a relação entre as duas nações

Brasil e Angola são países siameses, com uma história compartilhada, que é cada vez mais perseguida, estudada e cultivada. A observação é do escritor angolano José Eduardo Agualusa, que escreveu mais de 20 livros. O último A Sociedade dos Sonhadores Involuntários, foi apresentado na Festa Literária de Paraty, a Flip.

“O Brasil já foi totalmente fechado sobre si próprio. Ignorava não apenas África, mas o resto do mundo. Hoje melhorou bastante. Um bom exemplo é a própria literatura, hoje você tem um escritor africano, e estou a falar de Mia Couto, que vende mais do que a generalidade dos brasileiros, por exemplo”.

Na entrevista a André de Oliveira, do El País, o escritor afirmou que “neste momento, assim como aqui no Brasil, Angola vive como um país cansado, dilacerado e, nesse momento, desanimado, no sentido original da palavra: o de ‘perder a alma”.

E se os dois países andam cansados politicamente, sem um rumo certo, não é de se esperar que as relações também esfriem? “Não. Ainda que o governo brasileiro, se é que possível falar em um governo brasileiro atualmente, tenha abandonado a política externa, as sociedades civis estão a fazer essas conexões”, diz. Para ele, algo que foi plantado não pode ser retirado.

“A corrupção é mesmo algo que destrói tudo. É um grande problema”.

Falar de Brasil e Angola, lembra o escritor, faz pensar também em Odebrecht, corrupção, desvios econômicos, já que a empresa tem diversos negócios em solo angolano. 


Fraga diz que haverá motim se for extinta Casa Militar no DF
Exército lembra Stan Lee em homenagem que fez aos soldados em 2016
veja +
Pode virar lei proposta que facilita concessão de benefícios a pessoas com lúpus ou epilepsia
Comissão de Agricultura aprova política de incentivo à produção de etanol
Escolas públicas podem ser obrigadas a exibir resultados no Ideb
veja +