Notáveis exceções no topo do judiciário

autor Misto Brasília

Postado em 20/07/2017 14:41:57 - 14:30:00


Raquel, Cármen, Grace e Laurita Vaz no comando/Arquivo/Fotomontagem

Quatro mulheres assumem o comando de instituições dominado pelo ambiente masculino

Em setembro, quando Raquel Dodge assumir o cargo de procuradora-geral da República, o Brasil passará a ter, pela primeira vez, quatro mulheres no comando das principais instituições jurídicas nacionais.

Dodge se juntará a Cármen Lúcia, que preside o Supremo Tribunal Federal, Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça, e Grace Mendonça, primeira mulher a assumir o comando da Advocacia-Geral da União (AGU).

As carreiras jurídicas têm cada vez mais representantes do sexo feminino. Nos últimos anos, por exemplo, o número de mulheres inscritas em grande parte das seccionais da OAB tem superado o de homens, observa reportagem de Paula Adamo Idoeta, da BBC.

O problema, para alguns analistas, é que, em sua maioria, elas permanecem na base da pirâmide, e não em posições de comando - emulando outros setores da economia. Assim, Cármen, Laurita, Raquel e Grace seriam apenas notáveis exceções.

Na carreira jurídica pública, segundo o censo do Poder Judiciário de 2014, há por exemplo 64% de magistrados homens e 36% de mulheres.

À medida que a hierarquia sobe, a diferença aumenta ainda mais: os desembargadores brasileiros são 78,5% do sexo masculino; os ministros de tribunais superiores e do STF são 81,6% do sexo masculino.

"Elas prevalecem (em número), mas, à medida que a carreira avança, vão ficando pelo caminho por que veem que não vão chegar ao topo", diz à BBC Brasil Patricia Tuma Martins Bertolin, professora do Mackenzie e autora do livro recém-lançado Mulheres Advogadas: Perfis Masculinos de Carreira ou Teto de Vidro, baseado em sua pesquisa de pós-doutorado.

No estudo, Bertolin investigou dez grandes escritórios de advocacia do país. Em apenas dois deles encontrou números iguais de mulheres e homens na condição de sócios. Nos demais, as mulheres são contratadas em maior número já no estágio, sendo também a maioria nos patamares iniciais da carreira, mas, à medida que esta avança, tendem a permanecer em posições subalternas.


AO VIVO TV Câmara Legislativa
Estudantes do Gisno protestam contra a adoção do modelo cívico-militar
veja +
Maia vai instalar nesta quarta comissão para discutir novas regras para o saneamento
Deputados cobram desbloqueio de recursos para a educação
Presidente da Cobap, Warley Gonçalves, sugere uso da máquina para reeleição
veja +