Geddel é preso por obstruir investigações da Cui Bono

autor Misto Brasília

Postado em 03/07/2017 17:56:34 - 17:37:00


Ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima/Arquivo

A operação apura fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal (CEF)

O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima foi preso preventivamente pela Polícia Federal na Bahia, por decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília. A acusação é de obstruir investigações da Operação Cui Bono, que apuram fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal (CEF). O ex-ministro era vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff.

Dentro da petição apresentada à Justiça, foram citadas mensagens enviadas recentemente, entre os meses de maio e junho, por Geddel à esposa de Lúcio Funaro. Para provar, tanto a existência desses contatos quanto a afirmação de que a iniciativa partiu do político, Funaro entregou à polícia cópias de diversas telas do aplicativo.

As suspeitas é de que Geddel agiu para evitar possíveis delações premiadas de Cunha e de Funaro, ambos presos pela Operação Lava Jato e também investigados na Cui Bono.

Geddel era braço direito do presidente Michel Temer e perdeu o cargo por suspeita de tráfico de influência após um escândalo envolvendo a liberação de um prédio onde o ex-ministro tinha um apartamento em Salvador.


Governador do DF, Ibaneis Rocha, afirma que o TCU é um "tribunal de merda"
AO VIVO TV Euronews
veja +
Câmara conclui MP da Liberdade Econômica e aprova projeto de abuso de autoridade
Ibaneis sobre a avó de Michele Bolsonaro: se quero atendimento mais rápido pago plano de saúde
CCJ do Senado aprova atuação de juizados de violência doméstica
veja +