Tensão: MP pede impedimento de Admar Gonzaga

autor Misto Brasília

Postado em 09/06/2017 16:05:55 - 16:01:00


Ministro Admar Gonzaga disse que não advoga desde 2013/Roberto Jaime/TSE

O motivo foi o ministro ter sido advogado da ex-presidente Dilma e foi negado por unanimidade

No retorno, com meia hora de atraso, aproximadamente, do julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o clima ficou tenso, nesta tarde de sexta-feira (9). O vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, em uma questão de ordem, pediu o impedimento do ministro Admar Gonzaga. Alegou que o ministro fora advogado da então presidente Dilma Rousseff.

Confira o julgamento ao vivo na seção TVs públicas do Misto Brasíia, abaixo.  

Surpreso, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Temer, afirmou ter pensado que o vice-procurador pediria a inelegibilidade do ex-presidente Lula da Silva.

A questão de ordem foi rejeitada por todos os ministros.  Gilmar disse, irritado, que o Ministério Público precisa ser pautado pela “lealdade processual”. Ao que Dino afirmou  que não fora desleal. E Gilmar retrucou: “É bom que seja assim.”

Por sua vez, o ministro Admar Gonzaga afirmou que desde 2013 não atua mais em causas eleitorais para tranquilizar o ambiente que ficou tenso. Em seguida foi suspensa a sessão novamente por Gilmar. 

Depois de cerca de dez minutos, retomados os trabalhos, o ministro Napoleão Nunes começou a ler o voto, e seguiu o do relator nas infrações de poder político e econômico que o relator rejeitou. Mas não deu por "provada a imputação". Ou seja, depois de pedir desculpas ao relator, Benjamin Herman, foi contra a cassação da chapa. 


Governador do DF, Ibaneis Rocha, afirma que o TCU é um "tribunal de merda"
AO VIVO TV Euronews
veja +
Câmara conclui MP da Liberdade Econômica e aprova projeto de abuso de autoridade
Ibaneis sobre a avó de Michele Bolsonaro: se quero atendimento mais rápido pago plano de saúde
CCJ do Senado aprova atuação de juizados de violência doméstica
veja +