Mulher de Cabral não volta para casa e fica em Bangu

autor Misto Brasília

Postado em 20/03/2017 19:02:52 - 18:51:00


Adriana Ancelmo

Procuradores alegaram que seria difícil vigiar Adriana Ancelmo, quanto a usar telefone e internet

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região revogou, nesta segunda-feira (20), a prisão domiciliar convertida para a mulher do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, a adovogada Adriana Ancelmo.

O pedido do Ministério Público foi acolhido pelo desembargador Abel Gomes, contrário à determinação do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal Federal, da última sexta-feira (17).

Assim, Adriana em breve seguirá para o Complexo Penitenciário de Bangu, o mesmo em que está preso Cabral.

Os procuradores sustentaram dificuldade de cumprir determinação que Adriana não teria acesso a telefone e internet na residência durante a prisão domiciliar. Portanto, suspeitaram que ela poderia manipular recursos do patrimônio do ex-governador do Rio de Janeiro.


Misto Brasília apresenta novo layout e programação
AO VIVO - Câmara Legislativa do DF
veja +
Acordo permite votação de PEC sobre arrendamento de terras indígenas na terça-feira
Maia defende compromisso do Parlamento com preservação ambiental
Governadores Ibaneis Rocha (DF) e Ronaldo Caiado (GO) firmam parceria na área de transporte
veja +