Dia da Mulher prevê paralisação em 30 países

autor Misto Brasília

Postado em 11/02/2017 17:40:39 - 17:36:00


Mulheres fazem protesto a favor do topless nas praias argentinas/Arquivo

Movimento é inspirado num movimento irlandês de 1975, quando 90% das mulheres pararam de trabalhar

Mulheres de outros 30 países planejam fazer a greve no dia 8 de março, prevendo um histórico Dia da Mulher. O objetivo de deixar escritórios, lojas, fábricas ou qualquer trabalho sem a presença do sexo feminino para protestar contra as desigualdades de gênero e a violência machista.

O protesto internacional é inspirado no Dia Livre das Mulheres islandesas de 1975, quando 90% das cidadãs deixaram seus postos de trabalho em 24 de outubro desse ano para protagonizar uma grande manifestação nas ruas do país e marcar um ponto de inflexão na luta pela igualdade de direitos.

A greve de 8 de março começou a ser planejada depois do forte movimento argentino de mulheres de 19 outubro – a chamada quarta-feira negra contra os 200 assassinatos anuais por violência machista no país – e da segunda-feira negra de 3 de outubro na Polônia, quando milhares de mulheres pararam e protestaram contra a restritiva lei de aborto impulsionada pelo Executivo polaco, que depois foi rechaçada pelo Parlamento pela pressão das marchas.

Grupos feministas da Austrália, Bolívia, Brasil, Chile, Costa Rica, República Checa, Equador, Inglaterra, França, Alemanha, Guatemala, Honduras, Islândia, Irlanda do Norte, Irlanda, Israel, Itália, México, Nicarágua, Peru, Polônia, Rússia, El Salvador, Escócia, Coreia do Sul, Suécia, Togo, Turquia, Uruguai e EUA confirmaram a convocatória.


Orquestra de Brasília e o Coral 10 interpretam Cio da Terra
Governador do Pará diz que contas dos estados passarão por pente-fino
veja +
Multa para quem estacionar em vaga de idoso pode aumentar
Projeto que limita propagandas em TVs e rádios educativas aguarda votação na Câmara
Proposta reserva vagas de instituições de ensino para pessoas com deficiência
veja +