Famosos do Youtube começam a faturar milhões de dólares

autor Misto Brasília

Postado em 11/12/2016 19:57:12 - 19:50:00


Celebridades começam a ganhar dinheiro com seu canal exclusivo/Arquivo/AWDigital

O mais famoso brasileiro é o piauiense e humorista Whindersson, que ocupa o segundo lugar no mundo

Definitivamente estamos vivendo uma nova era no mundo das comunicações. Gente que não tem espaço nos canais abertos ou na TV a cabo, se tornam celebridades nas redes sociais e no Youtube. Estes últimos conhecidos como youtubers começam ter uma gorda conta corrente.

Uma das principais fontes de lucros são as empresas que patrocinam os vídeos. Outra fonte importante de renda, porém, tem despontado: a publicação de livros e suas respectivas turnês de lançamento.

Alguns ainda aproveitam a fama no Youtube para lançar produtos como óculos de sol e canetas.

É o caso do piauiense Whindersson Nunes, com 11 milhões de seguidores e ocupa a posição de segundo youtuber mais influente do mundo, de acordo com a Revista Cidade Verde, de Teresina.

Whindersson não está na Globo ou no SBT mas integra o grupo de comediantes, gamers, chefs, entrevistadores e especialistas em beleza, cujos canais geraram mais dinheiro nos últimos tempos, segundo levantamento divulgado pela revista Forbes.

Reportagem da BBC informa que essas celebridades da web ganharam um total de US$ 70,5 milhões (R$ 237 milhões) no período de 12 meses encerrado em junho de 2016, um aumento de 23% em comparação ao balanço anterior.

Este é apenas o segundo ano que a Forbes faz o ranking das estrelas mais lucrativas estrelas do setor. Para o cálculo, coletou informações com a Nielsen, o site IMDB e em entrevistas com os próprios youtubers, seus agentes, advogados e especialistas da indústria de entretenimento.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Pré-sal, royalties, precatórios e Jovem Senador são destaques do Plenário
Kajuru vai propor medidas para investigar a CBF
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
veja +