Ex-deputada Liliane Roriz escapa de mais uma acusação

autor Misto Brasília

Postado em 27/05/2019 11:30:57 - 11:24:00


Liliane Roriz foi acusada de uma série de irregularidades na política do DF/Arquivo

TSE julgou que prescreveu um crime por corrupção eleitoral e falsidade ideológica praticada em 2010

A ex-deputada distrital Liliane Roriz recebeu duas notícias do plenário do Tribunal Superior Eleitoral na semana passada. A primeira boa e a segunda é ruim. Os ministros reconheceram a prescrição da pena por corrupção eleitoral e falsidade ideológica e eleitoral no ano de 2010, mas mantiveram a condenação à prestação de serviços à comunidade.

A pena foi aplicada pelo Tribunal Regional Eleitora do Distrito Federal. O site Conjur informou que prevaleceu entendimento do ministro Jorge Mussi. Ao abrir divergência, votou pelo acolhimento da preliminar de prescrição retroativa do crime de corrupção eleitoral. Os ministros Og Fernandes, Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, Sérgio Banhos e a presidente do Tribunal, ministra Rosa Weber, acompanharam o ministro.

Em janeiro, a ex-deputada distrital foi absolvida do crime de lavagem de dinheiro pelo Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF. A deputada teria ocultado bens e registrado no nome da filha dela.

Esses bens seriam frutos de crime de corrupção passiva praticado pelo pai de Liliane, o ex-governador Joaquim Roriz, que morreu em setembro do ano passado. Funcionários do Banco de Brasília, e proprietários da construtora WRJ Engenharia de Solos e Materiais também estariam envolvidos. O crime foi apurado na operação “Aquarela”.


Misto Brasília apresenta novo layout e programação
AO VIVO - Câmara Legislativa do DF
veja +
Acordo permite votação de PEC sobre arrendamento de terras indígenas na terça-feira
Maia defende compromisso do Parlamento com preservação ambiental
Governadores Ibaneis Rocha (DF) e Ronaldo Caiado (GO) firmam parceria na área de transporte
veja +