Claro é condenada pela justiça do DF por contrato abusivo

autor Misto Brasília

Postado em 25/03/2019 19:19:50 - 19:14:00


A operadora Claro foi condenada a pagar danos morais de R$ 2 mil/Arquivo/Divulgação

Turma Recursal manteve uma sentença do Juizado Especial e acrescentou pagamento de R$ 2 mil

A Claro S.A foi condenada a indenizar uma cliente por danos morais causados pela negativa da empresa em rescindir contrato fraudulento embutido no plano de telefonia móvel, pois não havia um pacto de fidelização. A cliente decidiu cancelar o plano, o que não foi permitido pela Claro.

A operadora defendeu a existência e legalidade do contrato, e que não pode ser responsabilizada por eventual fraude cometida por terceiro. A juíza titular Juizado Especial Cível e Criminal do Paranoá deu parcial provimento aos pedidos da autora, anulou o contrato e condenou a companhia de telefonia a restituir os valores pagos indevidamente.

A 1a Turma Recursal Dos Juizados Especiais do Distrito Federal reformou sentença para incluir na condenação da Claro o pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 2 mil. Segundo os magistrados a conduta da empresa foi abusiva e foi suficiente para ensejar danos morais.


Governador do DF, Ibaneis Rocha, afirma que o TCU é um "tribunal de merda"
AO VIVO TV Euronews
veja +
Câmara conclui MP da Liberdade Econômica e aprova projeto de abuso de autoridade
Ibaneis sobre a avó de Michele Bolsonaro: se quero atendimento mais rápido pago plano de saúde
CCJ do Senado aprova atuação de juizados de violência doméstica
veja +