Os Maias

autor Galba Velloso

Postado em 25/03/2019 07:53:51 - 07:23:00


Rodrigo Maia e o pai, César Maia, em evento social no Rio de Janeiro/Fotomontagem

Se o filho indagasse o que significa articular, o pai lhe responderia com o seu exemplo

Esse título sonoro, que Eça de Queirós usou para batizar uma das suas notáveis obras literárias, torna-se apropriado, pela grandeza do momento que vivemos, para nominar os acontecimentos que cercam a tramitação da reforma da Previdência, em que ganhou protagonismo de ampla repercussão o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, filho do ex-deputado César Maia.

Se o filho indagasse a seu pai o que significa articular, e se sua prática está limitada apenas a um dos poderes, mais do que com palavras o veterano parlamentar que governou o Rio de Janeiro lhe responderia com o seu próprio exemplo de quem propôs, articulou e fez tramitar um projeto completo de regulamentação do Sistema Financeiro, cumprindo o dever de articulação do interesse público implícito nas funções legislativas, cuja missão é exatamente essa.

Ocorre em relação à Reforma da Previdência que qualquer articulação à favor da Reforma tem contra si, de início, a força da inércia da própria Previdência tal como vigente, pois incontáveis são os interesses a serem contrariados pela reforma, ainda que se argumente com a necessidade do fim dos privilégios.

A favor da reforma da Previdência estão o “mercado”, o Paulo Guedes e o bem intencionado presidente da República,  cuja ação não pode repetir a de seus antecessores imediatos.

Contra a reforma, por opinião ou desinformação, está parcela significativa da opinião pública, inclusive os trabalhadores supostamente beneficiados por ela, pelo impedimento da falência do Sistema Previdenciário.

Este público se comunica hoje diretamente com seus representantes políticos no Congresso, via internet, que restabeleceu uma espécie de democracia direta, como aquela que na Grécia se reunia e praticava nos estádios, até que o crescimento populacional impôs a necessidade da democracia representativa.

Considerando a dependência dos parlamentares em relação às suas bases eleitorais, difícil é imaginar que nos comícios de 2020 e 2022 algum político suba ao palanque sob aplausos para bater no peito proclamando ter sido ele que aumentou a idade mínima de aposentadoria e o tempo de contribuição.

Essa a gigantesca força da inércia a favor da Previdência atual, cabendo ainda dizer que muitos que se proclamaram por conveniência a favor da apresentação da reforma são, no entanto, contra a sua tramitação e, mais ainda, contra a sua aprovação, pelo menos nos termos em que está posta.

No Império o monarca tinha oficialmente a denominação de Poder Moderador.

Não cabendo o título na República, conveniente resguardar-se a missão e por isso faz bem o presidente da República em conter os excessos reformistas, pois o temperamento brasileiro é muito mais a favor de manter ou aumentar benefícios, do que cortar aqueles de quem quer que seja, sem que isso resulte em benefício para si mesmo.

O problema da Previdência não é, no momento, o que ela gasta, mas o que ela não arrecada, somando-se os desempregados, os desalentados e aqueles que optaram pela economia informal, todos, naturalmente, sem contribuir, além daqueles que dolosamente fogem às suas obrigações que envolvem quantias de grande porte.

Por outro lado, se a Previdência não tem rombo de gastos, mas de arrecadação deficiente, inclusive por culpa do Estado e das grandes empresas, cabe lembrar que existem outros rombos alegremente aceitos, como aquele apontado por Paulo Guedes de 100 bilhões de dólares pagos anualmente pelo governo aos bancos, o que equivale segundo o ministro, a reconstruir uma Europa por ano, ou seja, um Plano Marshall por ano, a favor da banca e não do Brasil.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia tem prerrogativas e ascendência que lhe permitem agir e proclamar com orgulho cívico e de família: “A César o que é de César”.

Articule, filho de César, e as engrenagens do poder o acompanharão.


Misto Brasília daqui a uma semana - site de notícias apresenta novidades
AO VIVO TV Euronews
veja +
Entidades defendem integridade das unidades de conservação
Câmara vai analisar projeto que regulamenta esportes eletrônicos no Brasil
Ibaneis explica como será o patrocínio do basquete para fazer de Brasília a capital do esporte
veja +