Bolsonaro muda dieta e cobra investigação da Federal

autor Misto Brasília

Postado em 10/02/2019 19:29:41 - 19:09:00


Bolsonaro nesta tarde durante gravação de vídeo no Albert Einstein/Reprodução vídeo

Presidente comeu gelatina e num vídeo cobrou que se esclareça quem foram os mandantes do atentado

O presidente Jair Bolsonaro começou hoje (10) a redução gradativa da nutrição parenteral (endovenosa), mantendo uma dieta cremosa associada ao suplemento nutricional por via oral, segundo informou boletim médico divulgado na tarde deste domingo pelo Hospital Albert Einstein, onde passou por cirurgia, no último dia 28, para retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal.

Bolsonaro cobrou, num vídeo postado em rede social,  que a Polícia Federal esclareça “nas próximas semanas“ quem foi, ou “ quem foram “, os mandantes do atentado sofrido por ele no dia 6 de setembro , em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral.

Assista o vídeo postado ao lado, na seção vídeo

Bolsonaro almoçou creme de mandioca com carne e ingeriu gelatina, além de um suplemento nutricional.

Ele permanece internado na Unidade Semi-Intensiva do Albert Einstein, apresenta boa evolução clínica e está sem febre. De acordo com o hospital, o quadro pulmonar apresenta melhora significativa, e o presidente continua sendo tratado com os mesmos antibióticos. 

"Espero que a nossa  querida Polícia Federal, polícia que nos orgulha a todos, que tenha uma solução para o nosso caso nas próximas semanas. Esse crime, essa tentativa de homicídio, esse ato terrorista praticado por um ex-integrante do PSOL, não pode ficar impune. E nós queremos, sim, e gostaríamos, que a PF indicasse, obviamente que, com dados concretos, quem foi, ou quem foram os responsáveis por determinar que o Adélio [Bispo de Oliveira] praticasse aquele crime", disse Bolsonaro.


AO VIVO TV Brasil
Derrubada de árvore que provocou uma ação popular de R$ 50 milhões
veja +
LDO prevê salário mínimo de R$ 1.040 em 2020, com correção apenas pela inflação
Enfermagem pede lei que garanta jornada de 30 horas semanais
Senado quer explicação de ministro sobre vídeo favorável ao golpe militar
veja +