Operação policial mira aprovados no concurso do STJ de 2015

autor Misto Brasília

Postado em 19/12/2018 12:02:04 - 11:58:00


Polícia Civil do DF investiga dez servidores do STJ que teriam comprado as respostas/Arquivo

Pelo menos dez servidores teriam sido aprovados a partir da compra de gabaritos do concurso público

Em nota divulgada o final da manhã, o Superior Tribunal de Justiça informou que a operação policial desencadeada nesta manhã pela Polícia Civil do Distrito Federal atingiu concursados de 2015. A ação policial cumpriu hoje 13 mandados de busca e apreensão e mais uma vez investiga a chamada máfia dos concursos.

A nota informa que dez servidores do STJ estão sendo investigados. Eles teriam pago para serem aprovados o concurso público num esquema de compra de gabarito.

Veja a nota do STJ

A partir de suspeitas levantadas pelo corpo técnico do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que levou em conta o baixo desempenho de servidores aprovados no Concurso de 2015, foi desencadeada pela Polícia Civil do Distrito Federal, nesta quarta-feira (19), a 4ª Fase da Operação Panoptes.

A ação cumpriu 13 mandados de busca e em vários locais do DF. Dez servidores do STJ são investigados por terem suspostamente participado de um esquema de compra de gabarito do certame promovido pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de promoção de Eventos (Cebraspe/UnB).

Em maio de 2016, a equipe da Secretaria de Gestão de Pessoas identificou suspeitas de fraude no Concurso STJ 2015 especificamente para o cargo de técnico administrativo. Na ocasião, 39.592 pessoas disputaram 15 vagas. Para este cargo foram convocados 167 candidatos até 21/12/2017, quando o concurso perdeu a validade.


Flagrante da prisão pela PF do ex-ministro Moreira Franco
Luís Miranda diz que Ibaneis falhou em não articular relator da MP da região metropolitana
veja +
Senado vai votar permissão para pais que estudam ficarem com filhos na sala de aula
Sancionada a Lei que estabelece idade mínima de 16 para casamento civil
Lei que permite bloquear recursos de acusados por terrorismo é sancionada
veja +