Juíza federal, ex-miss Brasília, é chamada para assessorar Toffoli

autor Misto Brasília

Postado em 18/09/2018 18:56:43 - 18:46:00


Alessandra quando enfrentava as passarelas e os concursos públicos/Cassiano Grandi/Divulgação

Beleza não é tudo para essa mulher que passou em concursos e se tornou magistrada aos 28 anos

A juíza federal Alessandra Baldini será responsável por auxiliar no exame dos recursos e eventualmente em seus fundamentos jurídicos no Supremo Tribunal Federal. A nota poderia ser um simples rodapé de coluna, mas a nova assessoria convocada pelo presidente da Suprema Corte, Dias Toffoli, esconde não só uma história de beleza, mas de competência.

A brasiliense Alessandra foi Miss Distrito Federal em 2011. Representou o Cruzeiro na seletiva de 2014 aos 24 anos e no ano seguinte, desfilou no concurso nacional e depois experimentou uma carreira internacional como modelo por dois anos Aos 28 anos passou no concorrido concurso para juiz federal. Eram 90 concorrentes.  

Antes da classificação para juíza, foi aprovada em pelo menos seis outros certames, entre eles, como analista do Superior Tribunal de Justiça (STJ), defensora pública e procuradora do Banco Central. Só para comparar: o seu novo chefe, o presidente do STF, não passou em nenhum concurso. Nas duas vezes que tentou concorrer para juiz em 1994 e 1995, foi reprovado logo na primeira fase.

Para quem acha que beleza é tudo, veja o que ela disse em março de 2015, ao G1.

"Advogava pouco, tinha uma parceria com um escritório em que eu fazia algumas peças, mais pela prática mesmo. Os estudos eram diários, atividade física moderada e lazer mínimo. Fiz vários cursos, desde os mais genéricos até os mais específicos, e fazia várias provas de concursos diversos, bem como realizava exercícios e simulados em casa. Tive o apoio dos meus pais, até que eu fui aprovada e chamada no primeiro concurso e comecei a ter minha própria renda. Aí comecei a conciliar trabalho e estudo".


AO VIVO TV Euronews
PM reprime tentativa de invasão do Ministério da Educação
veja +
Ibaneis disse que ficou triste com investigações contra médicos de hospital
Projeto reforça garantia de liberdade de expressão em escolas e universidades
Telefônicas podem ser obrigadas a atender todos os distritos em quatro anos
veja +