Projeto do uso do solo poderá tramitar novamente na CLDF

autor Misto Brasília

Postado em 05/09/2018 18:05:59 - 17:59:00


A ocupação do solo é uma discussão polêmica que se arrasta por anos/Arquivo

Debate sobre a LUOS foi suspenso por decisão da Vara de Meio Ambiente que foi reformulada pelo TJDF

As audiências públicas realizadas em novembro e dezembro de 2016, para legalização da Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS), finalmente foram consideradas legais pela 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. A decisão desta quarta-feira (05) reformula sentença da Vara de Meio Ambiente, que acolheu um apelo de Eliane Estrela Galvão através de uma ação popular.

Quando o juiz Carlos Frederico Maroja de Medeiros anulou parte da proposta a pedido da moradora do Lago Sul, o projeto já estava em tramitação na Câmara Legislativa do DF. O projeto foi encaminhado pelo governo distrital ao Legislativo em dezembro de 2017. O texto que foi apresentado com pelo menos seis anos de atraso, está na Comissão de Assuntos Fundiários (CAF).

As audiências são necessárias para a aprovação da LUOS. A autora da ação disse que não foi observada a legislação, mas o argumento do governo do Distrito Federal acabou convencendo os desembargadores, que consideraram que não houve prejuízo à participação popular, segundo observou o relator, o desembargador César Laboissiere Loyola.

A Lei de Uso e Ocupação do Solo define as regras e os usos autorizados para a ocupação de cerca de 360 mil terrenos em todo o Distrito Federal. Só estão fora do projeto os bairros incluídos na área tombada, como Plano Piloto, Sudoeste, Cruzeiro e Candangolândia.

Em setembro do ano passado, o então secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, garantiu que “a Lei de Uso e Ocupação do Solo não cria lotes, não libera comércio em residências, não acaba com áreas de proteção ambiental nem tira a propriedade de ninguém, como algumas pessoas andam especulando”.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
Comissão aprova isenção de IPVA a ex-proprietário de veículo
Excesso de peso em bagagens no transporte aéreo pode ter novas regras
veja +