Arcebispo diz que a corrupção atingiu o topo do Vaticano

autor Misto Brasília

Postado em 27/08/2018 10:34:39 - 10:30:00


Papa Francisco não quis comentar denúncias contra predador sexual/Arquivo

Papa Francisco disse que não vai respondeu sobre a acusação contra ex-arcebispo de Washington

O papa Francisco se recusou a confirmar ou negar as alegações de um antigo núncio (embaixador) do Vaticano nos EUA, que acusou o líder da Igreja Católica de ter ignorado durante seu pontificado as ações do ex-arcebispo de Washington Theodore McCarrick, acusado publicamente em julho de abuso sexual. O Misto Brasília transmitiu ao vivo a visita do papa na Irlanda.

Em carta aberta publicada neste domingo (26), o arcebispo Carlo Maria Vigano acusou o papa Francisco de ter anulado sanções contra o cardeal McCarrick e de ter ignorado as descrições do seu comportamento homossexual predatório junto a jovens seminaristas e sacerdotes.

"Não vou dizer uma palavra sobre isso, acho que o comunicado fala por si", disse o papa numa coletiva de imprensa no domingo, durante seu voo de retorno a Roma após visita à Irlanda. "Leiam o comunicado atentamente e façam o vosso próprio julgamento."

O papa foi questionado sobre a veracidade das alegações de Vigano de que os dois discutiram as alegações contra McCarrick em 2013. Os jornalistas também perguntaram sobre as alegações de que McCarrick já estava sob sanção na época, mas que foi reabilitado pelo próprio Francisco.

"A corrupção atingiu o topo da hierarquia da Igreja", disse o arcebispo Vigano em sua carta aberta, na qual chegou a exigir a renúncia do papa Francisco. A carta de 11 páginas foi publicada em alguns meios de comunicação de viés conservador em vários países. Nela, o arcebispo de 77 anos acusou clérigos do Vaticano de formarem um "lobby gay" e de encobrirem as acusações contra McCarrick.


Temer diz em pronunciamento que torce pelo novo presidente
Governadores eleitos e reeleitos entregam carta a Bolsonaro
veja +
Pré-sal, royalties, precatórios e Jovem Senador são destaques do Plenário
Kajuru vai propor medidas para investigar a CBF
Universidades apoiam criação de fundo patrimonial, mas criticam trechos da MP 851
veja +