Vivaldo de Sousa

Jornalista e cientista político, trabalhou por mais de 25 anos em veículos nacionais de imprensa. Foi repórter e coordenador de economia da Folha São Paulo, Foi editor-assistente na sucursal da revista Veja em Brasília, com foco nas áreas de política e economia, e repórter da revista IstoÉ em São Paulo. Foi VP e diretor-executivo do Grupo Máquina PR em Brasília, por onde atuou no atendimento de clientes dos setores público e privado no planejamento de comunicação, gerenciamento de crises, treinamento de porta-vozes e ações de relações governamentais. Professor de graduação em jornalismo político e econômico e de pós-graduação nas áreas de cenários político e econômico. É formado em comunicação social pela PUC-SP e mestre em Ciência Política pela UnB, com livros publicados nas áreas de jornalismo e de teoria política.

Vivaldo de Sousa

Além da reforma da Previdência Social

Reduzir a burocracia e os tributos, anunciadas também em governos anteriores, são bem-vindos

Qual o futuro do trabalho?

Estudo do Fórum Econômico Mundial traçou algumas das principais tendências entre 2018 e 2022

O primeiro teste de Bolsonaro

A idade mínima e a regra de transição são dois pontos que devem ser questionados pela oposição

Empresas precisam valorizar mais a vida

Bloqueio de recursos e multas, até agora de R$ 11 bilhões, não trazem de volta as vidas perdidas

Apoio a Maia facilita vida do governo na Câmara

O Senado pode ser uma pedra no sapato de Bolsonaro, que não quer Calheiros na presidência

Comunicação é fundamental para orientar expectativas em 2019

O anúncio de medidas econômicas exigirá do próximo governo uma aproximação com a imprensa

30 milhões sem veículo local de comunicação

Diferentemente de levantamentos anteriores, pela primeira vez o Atlas inclui todas as mídias


AO VIVO - Câmara Legislativa do DF
Tempestade provoca inundação em Brasília neste domingo
veja +
Governador do Piaui aposta na unificação de pautas entre os estados
Ibaneis anuncia 37 parques nos próximos anos na entrega do Lago Cortado
LDO prevê salário mínimo de R$ 1.040 em 2020, com correção apenas pela inflação
veja +